O Teu parto, a Minha cura!!!

The world gives you so much pain and here you are, making gold of it. There is nothing purer than that. ❤️

Rupi Kaur

 

 

Vídeo completo

O Teu Parto, A Minha Cura.

“O teu parto estava previsto para 6 de Janeiro, de acordo com as informações médicas, eu dizia que serias a primeira bebé do ano.

Desde o natal que te esperava, com tantas dores que senti…

Não nasceste em nenhum destes dias, nasceste quando tu quiseste, dia 14, num lindo parto no domicílio, dentro de água, como sempre quisemos, segui sempre o meu sentir em conexão contigo, pois acredito que o escolhemos juntas e agradeço te tanto, mas tanto por me teres levado nesta aventura…

Que aventura!

Escolhes te o meu corpo para ser o teu canal divino de regresso ao planeta Terra, um corpo ainda em recuperação de uma cirurgia hepática, estando ainda frágil…

Ninguém queria, todos tiveram medo, menos eu, porque sabia que vinhas com tudo, com o teu poder de derrubar paredes, não fosse em paredes o teu nascimento… Vieste para derrubar os meus muros, os meus medos, receios, vieste me mostrar que vale sempre a pena recomeçar, vieste trazer luz às minhas sombras, vieste trazer amor e cura.

E que lindo processo de amor e cura tem sido, desde que te senti pela primeira vez no meu ventre.

Que lindo caminho percorremos, contigo aprendo tanto e sigo sempre o que sinto e não é que o universo colabora sempre
Sempre senti que queria ter um parto diferente, mais humanizado, que respeitassem o ritmo do meu corpo, o teu ritmo, não queria mais um corte na minha barriga, pois só me falavam em cesariana quando sabiam dos meus antecedentes clínicos.
Nunca senti que Fosse por aí o caminho…
Tive uma doula que me acompanhou, informou e mais que isso ganhei uma irmã para a vida.
Tive acompanhamento de uma nutricionista, outra amiga que ganhei, pois ser vegetariana contigo queria ter a certeza que nada te faltava.
Tive acompanhamento de uma osteopata para gestantes, não só pela debilitação do meu corpo como também para acompanhamento do pavimento pélvico, muito importante na gravidez.
Tive uma obstetra, doula, que me respeitou.
E tive a nossa parteira, sem ela nada disto seria possível, mais uma irmã.
Também tive as consultas na maternidade e centro de saúde, mas sabia que o final nunca passaria por aí.
Ah tb tivemos a nossa fotografa, mais uma irmã, que fotografou tudinho……MagicFotografia.
Desde o natal até ao dia do teu nascimento foi um longo processo de cura e amor
Receio de que o teu pai me levasse para o hospital e eu não queria ter te num hospital, eu precisava de movimentar o meu corpo, estar em conexão contigo, ser respeitada no meu sentir.
Desde esse dia que tinha tudo pronto para irmos embora.
No dia 29 tínhamos consulta com a nossa parteira em paredes, e de carro cheio, lá fomos nós com o pai e o mano, ia o carro atulhado, até lenha levamos.
Ficamos até ao teu nascimento, bem perto da nossa parteira.
Ainda fizemos a nossa sessão fotográfica onde o mano me desenhou o mundo na barriga, ainda fomos fazer exames ao meu fígado e rins, para termos a certeza que as dores não viriam desses órgãos e estar tudo bem para um parto em casa.
Veio a passagem de ano e tu não nasceste, veio o dia de reis e também não…
Ainda tivemos tempo para a nossa sessão fotográfica n meio da natureza e no mar.
Comecei a cobrar-me, o teu mano faltar aulas tanto tempo, o pai ao trabalho…. Mas depois entendi que tivemos que esperar por ti todo aquele tempo, todos nós tivemos os seus processos de cura e libertação….
Quando entramos nas 40 semanas, a obstetra questionou se já tinha pensado no que queria fazer se não nascesses entretanto e que deveria pensar que se não acontecesse, teriam que provocar…
Senti que não seria necessário e nascerias no teu momento…
Falamos com a avó ju que teria que estar presente para tu nasceres, seria um momento de cura ancestral.
Fizemos caminhadas, sempre acompanhadas pelo mano, meditamos muito, numa dessas meditações libertei e curei partos de vidas passadas, onde me foram arrancados e tirados muitos filhos, comecei a dizer para mim mesma que era seguro ter te nos meus braços, que era seguro dar te à luz, nasceres!
Foi o meu Mantra a partir daí a juntar ao Mantra de :”grata meu corpo por entrares em trabalho de parto espontâneo”.
Após a meditação de libertação e cura, rebentou um cano de água em casa, senti que estava limpo todo o campo energético que estaria a impedir a tua chegada e começou a Contagem decrescente…a avó ju chegou no dia seguinte e a nossa doula também se quiz juntar a nós, no outro dia
Nesse mesmo dia, à noite começaram as contrações, de 10 em 10 min, todos pensavam que ias nascer, até o teu mano contava, chegaram a ser de 5 em 5 minutos.
Mas passou a noite e nada, foi uma noite mágica com a nossa querida amiga Pauline, que nos fez uma massagem e companhia.
Estivemos em fase latente 3 dias e 3 noites, a nossa amiga teve que ir embora…
Foram dias de muita dor e contração, principalmente nas noites, mas dormia entre as contrações.
Ficava sozinha no sofá, pois se fosse para a cama as contrações doíam muito mais, eram mais fortes, só com a energia e medos do papá que a cada contração queria levar-me para o hospital.
Aprendi que o medo dos outros também nos influencia, mas que quando sabemos o que queremos, o melhor é distanciar e ficar só. Nesses dias, fui perdendo o rolhão mucoso, fui sentindo o meu corpo a preparar se para a tua chegada. Tomei banhos de imersão com pétalas de rosa e conectava-me a ti, sabia que estavas para chegar.
Falei com a lua, nasceste na lua nova, reservada para pessoas muito muito especiais, são menos os bebés que nascem na lua nova…
Falei com o sol que aqueceu o meu coração.
Conectei-me à terra que me impulsionava.
Senti me cada vez mais, senti-te…
Escrevi e desenhei para ti e para nós.
Sempre em contacto com a nossa parteira que nos visitava quando era necessário.
Até que na terceira noite, sozinha, naquele sofá, à lareira entre dores e calmaria, comecei a vomitar sem parar, o teu pai deu conta e veio ajudar me… Melhorei já de madrugada até que adormeci, dormi até mais tarde.
Nesse dia tinha consulta com a nossa obstetra, já estávamos de 41 semana, mas já não sentia que ia à consulta e assim foi…
Já não me apeteceu almoçar e a nossa parteira quiz ver-nos com tudo o que estava a descrever, saiu do almoço com a família, onde festejavam o aniversário do marido.
Qd me viu disse, chegou o tão esperado momento, papá enche a piscina que eu vou buscar a família ao restaurante e já venho.
Assim foi…
Fizemos registo, observação e lá fomos nós.
Acendi as minhas velas, incenso, coloquei as minhas músicas, óleos essenciais no difusor, dancei a nossa música para ti.
Conectei-me com o todo e lá caminhei ao som do pai nosso em aramaico, entre o fogo das velas até entrar dentro daquela água morna e apetitosa.
Conectei-me à água, a ti, aos meus guias, a Jesus, mãe Maria e foram umas 3 h, nem tanto, não sei porque não tive noção do tempo, foi tudo mágico!
Nasceste dia 14, às 17h38, num lindo parto de amor, luz e cura!
Onde senti cada dor, mas também cada sensação de paz e tranquilidade, onde coloquei as mãos na minha vagina e senti a tua cabeça, o teu cabelo, que momento único sentir te a deslizar…
Senti e ouvi os meus gritos de dor, de libertação, de amor, de prazer, prazer de viver este momento com tanta intensidade que nenhum gemido ou grito seriam de dor, mas sim de puro amor, entrega, autenticidade.
Eu e tu, numa só, unidas para a vida, desde a eternidade.
Que mágico o milagre da vida, num corpo débil, fragilizado, mas com a garra e a conexão necessária para te ajudar a nascer
Sou te tão, mas tão grata por me teres escolhido para tua mãe 💞
Senti a tua cabeça romper o meu perineo, senti rodares a tua cabeça para encontrares a tua posição.
Fizemos tudo sozinhas, porque fomos respeitadas, tudo no nosso ritmo, a Sónia só teve que ajudar para saíres, pois já estava a demorar um pouco, estavas presa nos ombros.
Bastou um simples toque e cá estavas tu, agarrei-te com as minhas mãos, trouxe-te ao meu peito e que sensação de amor imenso!
Quando olhas-te para mim que reconhecimento fantástico, ali estávamos nós enamoradas para a vida.
Todos felizes, o mano, o pai a avó!
O mano colocou a música de consagração a nossa senhora e pétalas de rosas na banheira para te recebermos, foram momentos únicos e mágicos vividos por todos.
Tanta luz e amor!
Saímos da piscina, tu estavas c frio…
Fomos para o quarto, ainda com a placenta dentro de mim e tu ainda ligada a mim pelo cordão umbilical.
Estiveste deitada no meu peito, encostadinha a mim…
Mamaste e só depois a placenta foi retirada, o teu mano cortou o teu cordão umbilical, hora e meia após o teu nascimento, assim tivemos a certeza que absorveste tudo da tua placenta.
Ficaste tão vermelha!
Foste medida, pesada….. Fotografada.
E muito muito mimada, o mano não te largou por nada, vestiu-te, pegou no colo, penteou, limou unhas…
O papá e avó ju tb te mimaram muito.
Passaste a noite na maminha, como fazes até agora.
Ainda bem que não fazes cocó como nessa noite!
E passado 1 ano, decidi contar a nossa história, deste dia mágico, de puro amor e cura.
Um lindo caminho p t ter nos meus braços, mas um caminho ainda mais lindo receber-te como filha.

És puro amor, alegria e vida, vieste completar a nossa família.

Somos pessoas melhores e mais felizes depois de ti!

  • 1 ano a crescer contigo!
  • 1 ano a amar contigo!
  • 1 ano a sorrir, chorar, cantar, dançar, dormir, não dormir contigo!
  • 1 ano a nutrir-te, amar-te, acolher-te, respeitar-te e ensinar-te!
  • 1 ano a desconstruir e aprender!
  • 1 ano a amar-me, nutrir-me, acolher-me, respeitar-me e aprender!
  • 1 ano de ti, de nós!
  • 1 ano de muito desafio, mas juntas vencemos!
  • 1 ano de puro amor!
Gratidão à vida, ao universo, a Deus, a ti meu amado Jesus, a ti minha querida mãe Maria e a ti minha amada Maria Madalena.
Gratidão ao meu filho, pelo irmão protetor que é, um exemplo de amor divino.
Gratidão à minha mãe por todo o apoio.
Gratidão ao papá pelas brincadeiras e alegrias.
Gratidão à mamã pela conexão e amor incondicional.”
0 comentários
Adicionar comentário...

O seu e-mail nunca publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados *

    O Teu parto, a Minha cura!!!

    The world gives you so much pain and here you are, making gold of it. There is nothing purer than that. ❤️

    Rupi Kaur

     

     

    Vídeo completo

    O Teu Parto, A Minha Cura.

    “O teu parto estava previsto para 6 de Janeiro, de acordo com as informações médicas, eu dizia que serias a primeira bebé do ano.

    Desde o natal que te esperava, com tantas dores que senti…

    Não nasceste em nenhum destes dias, nasceste quando tu quiseste, dia 14, num lindo parto no domicílio, dentro de água, como sempre quisemos, segui sempre o meu sentir em conexão contigo, pois acredito que o escolhemos juntas e agradeço te tanto, mas tanto por me teres levado nesta aventura…

    Que aventura!

    Escolhes te o meu corpo para ser o teu canal divino de regresso ao planeta Terra, um corpo ainda em recuperação de uma cirurgia hepática, estando ainda frágil…

    Ninguém queria, todos tiveram medo, menos eu, porque sabia que vinhas com tudo, com o teu poder de derrubar paredes, não fosse em paredes o teu nascimento… Vieste para derrubar os meus muros, os meus medos, receios, vieste me mostrar que vale sempre a pena recomeçar, vieste trazer luz às minhas sombras, vieste trazer amor e cura.

    E que lindo processo de amor e cura tem sido, desde que te senti pela primeira vez no meu ventre.

    Que lindo caminho percorremos, contigo aprendo tanto e sigo sempre o que sinto e não é que o universo colabora sempre
    Sempre senti que queria ter um parto diferente, mais humanizado, que respeitassem o ritmo do meu corpo, o teu ritmo, não queria mais um corte na minha barriga, pois só me falavam em cesariana quando sabiam dos meus antecedentes clínicos.
    Nunca senti que Fosse por aí o caminho…
    Tive uma doula que me acompanhou, informou e mais que isso ganhei uma irmã para a vida.
    Tive acompanhamento de uma nutricionista, outra amiga que ganhei, pois ser vegetariana contigo queria ter a certeza que nada te faltava.
    Tive acompanhamento de uma osteopata para gestantes, não só pela debilitação do meu corpo como também para acompanhamento do pavimento pélvico, muito importante na gravidez.
    Tive uma obstetra, doula, que me respeitou.
    E tive a nossa parteira, sem ela nada disto seria possível, mais uma irmã.
    Também tive as consultas na maternidade e centro de saúde, mas sabia que o final nunca passaria por aí.
    Ah tb tivemos a nossa fotografa, mais uma irmã, que fotografou tudinho……MagicFotografia.
    Desde o natal até ao dia do teu nascimento foi um longo processo de cura e amor
    Receio de que o teu pai me levasse para o hospital e eu não queria ter te num hospital, eu precisava de movimentar o meu corpo, estar em conexão contigo, ser respeitada no meu sentir.
    Desde esse dia que tinha tudo pronto para irmos embora.
    No dia 29 tínhamos consulta com a nossa parteira em paredes, e de carro cheio, lá fomos nós com o pai e o mano, ia o carro atulhado, até lenha levamos.
    Ficamos até ao teu nascimento, bem perto da nossa parteira.
    Ainda fizemos a nossa sessão fotográfica onde o mano me desenhou o mundo na barriga, ainda fomos fazer exames ao meu fígado e rins, para termos a certeza que as dores não viriam desses órgãos e estar tudo bem para um parto em casa.
    Veio a passagem de ano e tu não nasceste, veio o dia de reis e também não…
    Ainda tivemos tempo para a nossa sessão fotográfica n meio da natureza e no mar.
    Comecei a cobrar-me, o teu mano faltar aulas tanto tempo, o pai ao trabalho…. Mas depois entendi que tivemos que esperar por ti todo aquele tempo, todos nós tivemos os seus processos de cura e libertação….
    Quando entramos nas 40 semanas, a obstetra questionou se já tinha pensado no que queria fazer se não nascesses entretanto e que deveria pensar que se não acontecesse, teriam que provocar…
    Senti que não seria necessário e nascerias no teu momento…
    Falamos com a avó ju que teria que estar presente para tu nasceres, seria um momento de cura ancestral.
    Fizemos caminhadas, sempre acompanhadas pelo mano, meditamos muito, numa dessas meditações libertei e curei partos de vidas passadas, onde me foram arrancados e tirados muitos filhos, comecei a dizer para mim mesma que era seguro ter te nos meus braços, que era seguro dar te à luz, nasceres!
    Foi o meu Mantra a partir daí a juntar ao Mantra de :”grata meu corpo por entrares em trabalho de parto espontâneo”.
    Após a meditação de libertação e cura, rebentou um cano de água em casa, senti que estava limpo todo o campo energético que estaria a impedir a tua chegada e começou a Contagem decrescente…a avó ju chegou no dia seguinte e a nossa doula também se quiz juntar a nós, no outro dia
    Nesse mesmo dia, à noite começaram as contrações, de 10 em 10 min, todos pensavam que ias nascer, até o teu mano contava, chegaram a ser de 5 em 5 minutos.
    Mas passou a noite e nada, foi uma noite mágica com a nossa querida amiga Pauline, que nos fez uma massagem e companhia.
    Estivemos em fase latente 3 dias e 3 noites, a nossa amiga teve que ir embora…
    Foram dias de muita dor e contração, principalmente nas noites, mas dormia entre as contrações.
    Ficava sozinha no sofá, pois se fosse para a cama as contrações doíam muito mais, eram mais fortes, só com a energia e medos do papá que a cada contração queria levar-me para o hospital.
    Aprendi que o medo dos outros também nos influencia, mas que quando sabemos o que queremos, o melhor é distanciar e ficar só. Nesses dias, fui perdendo o rolhão mucoso, fui sentindo o meu corpo a preparar se para a tua chegada. Tomei banhos de imersão com pétalas de rosa e conectava-me a ti, sabia que estavas para chegar.
    Falei com a lua, nasceste na lua nova, reservada para pessoas muito muito especiais, são menos os bebés que nascem na lua nova…
    Falei com o sol que aqueceu o meu coração.
    Conectei-me à terra que me impulsionava.
    Senti me cada vez mais, senti-te…
    Escrevi e desenhei para ti e para nós.
    Sempre em contacto com a nossa parteira que nos visitava quando era necessário.
    Até que na terceira noite, sozinha, naquele sofá, à lareira entre dores e calmaria, comecei a vomitar sem parar, o teu pai deu conta e veio ajudar me… Melhorei já de madrugada até que adormeci, dormi até mais tarde.
    Nesse dia tinha consulta com a nossa obstetra, já estávamos de 41 semana, mas já não sentia que ia à consulta e assim foi…
    Já não me apeteceu almoçar e a nossa parteira quiz ver-nos com tudo o que estava a descrever, saiu do almoço com a família, onde festejavam o aniversário do marido.
    Qd me viu disse, chegou o tão esperado momento, papá enche a piscina que eu vou buscar a família ao restaurante e já venho.
    Assim foi…
    Fizemos registo, observação e lá fomos nós.
    Acendi as minhas velas, incenso, coloquei as minhas músicas, óleos essenciais no difusor, dancei a nossa música para ti.
    Conectei-me com o todo e lá caminhei ao som do pai nosso em aramaico, entre o fogo das velas até entrar dentro daquela água morna e apetitosa.
    Conectei-me à água, a ti, aos meus guias, a Jesus, mãe Maria e foram umas 3 h, nem tanto, não sei porque não tive noção do tempo, foi tudo mágico!
    Nasceste dia 14, às 17h38, num lindo parto de amor, luz e cura!
    Onde senti cada dor, mas também cada sensação de paz e tranquilidade, onde coloquei as mãos na minha vagina e senti a tua cabeça, o teu cabelo, que momento único sentir te a deslizar…
    Senti e ouvi os meus gritos de dor, de libertação, de amor, de prazer, prazer de viver este momento com tanta intensidade que nenhum gemido ou grito seriam de dor, mas sim de puro amor, entrega, autenticidade.
    Eu e tu, numa só, unidas para a vida, desde a eternidade.
    Que mágico o milagre da vida, num corpo débil, fragilizado, mas com a garra e a conexão necessária para te ajudar a nascer
    Sou te tão, mas tão grata por me teres escolhido para tua mãe 💞
    Senti a tua cabeça romper o meu perineo, senti rodares a tua cabeça para encontrares a tua posição.
    Fizemos tudo sozinhas, porque fomos respeitadas, tudo no nosso ritmo, a Sónia só teve que ajudar para saíres, pois já estava a demorar um pouco, estavas presa nos ombros.
    Bastou um simples toque e cá estavas tu, agarrei-te com as minhas mãos, trouxe-te ao meu peito e que sensação de amor imenso!
    Quando olhas-te para mim que reconhecimento fantástico, ali estávamos nós enamoradas para a vida.
    Todos felizes, o mano, o pai a avó!
    O mano colocou a música de consagração a nossa senhora e pétalas de rosas na banheira para te recebermos, foram momentos únicos e mágicos vividos por todos.
    Tanta luz e amor!
    Saímos da piscina, tu estavas c frio…
    Fomos para o quarto, ainda com a placenta dentro de mim e tu ainda ligada a mim pelo cordão umbilical.
    Estiveste deitada no meu peito, encostadinha a mim…
    Mamaste e só depois a placenta foi retirada, o teu mano cortou o teu cordão umbilical, hora e meia após o teu nascimento, assim tivemos a certeza que absorveste tudo da tua placenta.
    Ficaste tão vermelha!
    Foste medida, pesada….. Fotografada.
    E muito muito mimada, o mano não te largou por nada, vestiu-te, pegou no colo, penteou, limou unhas…
    O papá e avó ju tb te mimaram muito.
    Passaste a noite na maminha, como fazes até agora.
    Ainda bem que não fazes cocó como nessa noite!
    E passado 1 ano, decidi contar a nossa história, deste dia mágico, de puro amor e cura.
    Um lindo caminho p t ter nos meus braços, mas um caminho ainda mais lindo receber-te como filha.

    És puro amor, alegria e vida, vieste completar a nossa família.

    Somos pessoas melhores e mais felizes depois de ti!

    • 1 ano a crescer contigo!
    • 1 ano a amar contigo!
    • 1 ano a sorrir, chorar, cantar, dançar, dormir, não dormir contigo!
    • 1 ano a nutrir-te, amar-te, acolher-te, respeitar-te e ensinar-te!
    • 1 ano a desconstruir e aprender!
    • 1 ano a amar-me, nutrir-me, acolher-me, respeitar-me e aprender!
    • 1 ano de ti, de nós!
    • 1 ano de muito desafio, mas juntas vencemos!
    • 1 ano de puro amor!
    Gratidão à vida, ao universo, a Deus, a ti meu amado Jesus, a ti minha querida mãe Maria e a ti minha amada Maria Madalena.
    Gratidão ao meu filho, pelo irmão protetor que é, um exemplo de amor divino.
    Gratidão à minha mãe por todo o apoio.
    Gratidão ao papá pelas brincadeiras e alegrias.
    Gratidão à mamã pela conexão e amor incondicional.”
    0 comentários
    Adicionar comentário...

    O seu e-mail nunca publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados *

       

      Mais Momentos Aqui….